Camarote do Comandante

o nosso Clube

Fundado em 20 de Julho de 1990, o Clube de Oficiais da Marinha Mercante é um clube sem fins lucrativos tem vindo a desenvolver inúmeras actividades para aqueles que escolheram uma carreira ligada ao Mar.

Tem como objectivo a união e confraternização dos seus sócios, realizando não só eventos lúdicos como também seminários técnicos. Dentro dos eventos lúdicos realizados pelo Clube de Oficiais da Marinha Mercante, salienta-se os “Sons na Tarde”, uma tarde de música no primeiro Domingo de cada mês.

Corpos Sociais

Assembleia Geral

Presidente Cmdt. Fernando Jorge Ponces de Carvalho
Vice-Presidente Cmdt. Manuel José Antunes Medeiros
Secretário Cmdt. Fernando Manuel Grego Dias
Suplent Cmdt. Joaquim Álvaro Monteiro Marques

Conselho Fiscal

Presidente Cmdt. Orlando Mota Duarte
Vice-Presidente Cmdt. Ricardo Mata da Silva
Secretário Cmdt. Gilberto Neves Ribas
Suplente Cmdt. João Maria Costa Marques

Direcção

Presidente Eng. Jorge Duarte Ribeiro
Vice-Presidente  Cmdt. João da Costa Tavares
Vice-Presidente  Cmdt. Alberto Serrano Fontes
Vice-Presidente Eng. Luís Filipe Lopes Loureiro Esteves
Tesoureiro Comissário Alexandrino Silva Junqueiro Freire
Secretário  Cmdt. Manuel Cerdeira de Seabra e Melo
Vogal Eng. Jorge Manuel Barata Almeida
Vogal Eng. Luís Martinho Pitorro Soares
Vogal  Cmdt. Luís Manuel Branco da Silva
Vogal  Cmdt. Lino Leal Cardoso
Vogal  Cmdt. Carlos M. Rebelo Sousa
Vogal Eng. Mário Jorge Heitor Júlio
Vogal  Cmdt. José Paulo Carvalho do Bem
Vogal  Cmdt. Hugo Miguel Nunes Bastos Rodrigues
Vogal Eng. José Alberto Malaquias Ferreira
Vogal Eng. Susana Mª. Oliveira Broco Silva Gomes
Vogal  Cmdt. Manuel Silva Santos
Vogal Eng. João Paulo Estanislau Pinto
Vogal  Cmdt. Fernando António Nunes Lau
Vogal Eng. Paulo Alexandre Coelho

Regulamento Interno

O presente Regulamento Interno tem como objecto comple­mentar  esclarecer os estatutos do COMM.

CAPiTULO I

Dos associados
ARTIGO 1.°
Pedidos de admissdo

  1. Os candidatos a associados apresentarão à Direcção o seu pedido individualmente ou mediante proposta de dois asso­ciados no pleno gozo dos seus direitos.
  2. Quando se refiram a pessoas singulares os pedidos deverão ser acompanhados de prova sumária da sua qualidade.
  3. Quando se refiram a outras entidades os pedidos deverão ser acompanhados de fundamentacão para apresentacao na Assembleia Geral segundo os estatutos.

ARTIGO 2.° Da admissdo

  1. A Direccao apreciará e decidirá, no âmbito das suas compe­tências, do pedido de admissão num máximo de sessenta dias após a sua recepção.

Saiba tudo!

SUBSCREVA À NOSSA NEWSLETTER PARA FICAR A PAR DE TODAS AS NOVIDADESs